(32) 3025.4344 | (32) 99129.0617

Microagulhamento, a solução para manchas resistentes

A solução para as manchas resistentes que aparecem na nossa pele é o Microagulhamento. Esta é uma das tecnologias da dermatologia mais comentada no momento, principalmente por ter sido recomendada por pessoas famosas. Por outro lado ao ver as fotos desse procedimento, pode haver algum certo estranhamento e o aparecimento de dúvidas. O que é realmente esse tratamento? Para que ele serve? Ele é doloroso? Essas são algumas perguntas que vamos responder nesse texto.

O Microagulhamento é um sistema que ajuda a eliminar as manchas mais resistentes que temos na pele, como o melasma. Também existem outros benefícios dessa inovação, como o tratamento de cicatrizes, auxílio contra as estrias e ajuda na sustentação da pele, levando resistência e atraso no aparecimento das rugas. Além desse método de combater o envelhecimento, existem outras maneiras de adiar o aparecimento das temidas rugas, clique aqui para conferir.

O que é o Microagulhamento?

Essa é uma das maiores dúvidas sobre esse tema, apesar já ter virado muito comum em clínicas de dermatologia, os procedimentos que acontecem ainda são bem desconhecidos. O Microagulhamento ou a Indução Percutânea de Colágeno é um tratamento dermatológico que envolve o uso de agulhas. Geralmente, são bem pequenas e servem para perfurar a pele, estimulando a formação de colágeno e elastina.

O intuito deste procedimento é a solução para manchas resistentes e outros problemas que dão na pele. Ele pode ser feito com rolos ou canetas de microagulhas, para que seja feita essa escolha o dermatologista deve levar em consideração as necessidades de cada paciente. Mas afinal, como esse tratamento é realizado?

Como é a solução para manchas resistentes?

O receio sobre esse procedimento começa quando imagens do procedimento são divulgadas na internet. Entretanto, saber como o tratamento é feito, pode ajudar as pessoas a entenderem melhor esse tema. Existem alguns cuidados antes da realização da sessão, que variam para cada tipo pele. Por isso, é o seu dermatologista que indicará o que deve ser feito antes de fazer o Microagulhamento.

Assim que a sua pele estiver apta, o especialista irá marcar o procedimento. O primeiro passo a ser feito é anestesiar o local em que as agulhas vão penetrar na pele. O tratamento é realizado com movimentos de vai e vem na pele, usando também posições diferentes em cada parte da pele. Pode haver um leve sangramento, o que é normal e logo é interrompido. Isso acontece por causa da espessura das agulhas, que variam de 0,25mm até 3mm. É sempre importante ressaltar que esse tratamento é indolor por causa da anestesia, porém em algumas regiões mais sensíveis é possível sentir um pequeno desconforto.

Ao mesmo tempo em que essa etapa está sendo executada, o dermatologista pode fazer o uso de medicamentos na pele, de forma que eles penetrem com mais intensidade. A associação do Microagulhamento com o uso dos medicamentos se chama drug delivery. Contudo, o uso desse método depende do que o paciente deseja atingir com o tratamento. Depois do final da sessão, o seu dermatologista vai recomendar alguns cuidados que devem ser tomados após o procedimento.

Precauções pós tratamento

Depois do tratamento, o local da aplicação ficará mais sensível. Por isso a pele pode apresentar vermelhidão e ainda há a possibilidade de aparecerem crostas na pele, assim como descamação. Então como devem ter alguns cuidados antes de realizar o procedimento, após ele também existem responsabilidades. Sem essas ações, manchas podem aparecer na pele, então seguir o que for recomendado é essencial. Contudo, cada pele tem seu diferencial e cada pessoa deve seguir as orientações do seu médico, porém algumas recomendações são básicas.

Para que não exista complicações pós tratamento é muito importante tomar alguns cuidados, como:

  • Não pegue sol durante um mês e meio;
  • Passe protetor solar com um filtro maior que 30, quando sair de dia;
  • Não arranque a crosta, caso ela apareça;
  • Aplique os remédios que o médico receitar;
  • Evite passar água quente no rosto.

Solução para manchas resistentes

Quando esse procedimento é feito, o organismo tenta recuperar os furos que foram feito na pele, sendo assim ele acelera a produção de colágeno e elastano, responsáveis por deixar a pele mais resistente e macia. Dessa forma a Indução Percutânea de Colágeno é realizada e esses componentes ajudam as fibras a se reorganizarem, o que ajuda a eliminar rugas, cicatrizes e manchas profundas como o melasma.

Profissionais qualificados

Já que esse é um procedimento dermatológico que envolve muitos cuidados com a pele, é muito importante que você procure um especialista. Uma vez que, só ele vai poder analisar a sua pele e saber quais são as suas necessidades e o tratamento mais adequado para ela.

A Clínica Optimize realiza esse procedimento, buscando atender pessoas que procuram uma solução para manchas mais resistentes, que não reagem bem a tratamentos convencionais. Por isso, temos aqui profissionais capacitados para atender e solucionar o seu problema da forma certa, usando os melhores equipamentos.

Clínica Optimize
Centro Médico Monte Sinai
Avenida Presidente Itamar Franco, 4001
Sala: 713 – Leste – CEP 36033-318
Cascatinha – Juiz de Fora – MG
(32) 3025.4344 | (32) 99129.0617
contato@clinicaoptimize.com.br

Maneiras de identificar o melanoma

Antes de identificar o melanoma é necessário reconhecer que ele é uma ameaça para quem anda diariamente durante o dia e sem nenhuma proteção. Da mesma forma, existem outras doenças, que para serem evitadas precisam de um cuidado adequado com a pele. Uma delas é o melasma, que são manchas escuras que se formam principalmente no rosto, para saber mais clique aqui.

A nossa pele está exposta a vários riscos, e até coisas que parecem comuns no nosso cotidiano podem ser um problema para a nossa saúde. Desse modo as manchas e pintas que estamos tão acostumados, nem sempre são normais. Em alguns casos, elas podem ser um melanoma. Mas existem maneiras de identificar o melanoma e diferenciá-lo das nossas habituais marquinhas.

O que é o melanoma

Antes de tudo, é necessário entender que o câncer de pele é causado pela multiplicação de células anormais, que pode ser decorrente de mutações ou de fatores genéticos. O Câncer de pele é o tumor mais comum no Brasil, sendo responsável por mais de 30% dos casos registrados no país. Porém existem mais de um tipo e um deles é o melanoma, que é considerado o mais grave.

Conforme foi dito, o melanoma é um tipo de câncer de pele gerado nos melanócitos, que são as células responsáveis pela pigmentação do corpo e se localizam entre a derme e epiderme. A aparência dessa doença se confunde com manchas e pintas. Porém elas têm algumas diferenças, que nos ajudam a identifica-los.

Tipos de melanoma

Ao mesmo tempo que existem vários tipos de câncer de pele, também é encontrado alguns tipos de melanoma. Umas das principais formas de reconhecer é sabendo distinguir os seus tipos. Cada um deles possuem características diferentes, tanto no sintoma, quanto na aparência. Eles são:

  • Melanoma expansivo superficial: É o tipo mais comum, geralmente caracterizado pelo crescimento de forma irregular de pintas já existentes que chegam a mudar de cor. Mais comum em pessoas de pele branca.
  • Melanoma nodular: É o mais agressivo e o segundo que acontece com mais frequência. Sua coloração pode variar entre preto, vermelho ou até ser incolor. Pode surgir em locais que antes não havia nenhuma mancha e apresentar úlcera e sangramento.
  • Melanoma lentiginoso maligno: É considerado uma lesão superficial, que atinge em sua maioria idosos. Ocorre principalmente por causa da exposição solar e costuma atingir mais as regiões do rosto, ombros, pescoço, braços e pernas.
  • Melanoma lentiginoso acral: É o mais raro entre os melanomas, costuma aparecer na região das mãos, na sola dos pés ou embaixo das unhas. Mais comuns em pessoas negras.

Causas

Da mesma forma que aprendemos como câncer é formado, para entender a causa do melanoma, devemos aprender como ele surge. Quando está tudo normal, as celúlas se reproduzem, fazendo com que as velhas sejam eliminadas. Mas quando há um erro no DNA das células responsáveis pela pigmentação da pele, elas se multilplicam sem parar e acabam causando o Melanoma.

Ainda que seja uma enfermidade comum e atinja muitas pessoas, os especialistas ainda não sabem com precisão o que causa esse defeito nas células. Entretanto a exposição ao sol tem grande chance de ser o principal causador, por consequência da radiação dos raios ultravioletas. No entanto, essa não é a causa de todos os melanomas, levando em consideração que há alguns que aparecem em regiões que não tem contato com o sol.

Fatores de riscos do melanoma

Fator de risco são algumas situações que podem te deixar mais propício a ter uma certa doença. Podem ser influências climáticas, genéticas, características físicas ou comportamentais. Todavia, possuir algum fator de risco não significa necessariamente que alguém terá a doença, somente que existem mais probabilidades se não houver um cuidado. Da mesma forma acontece com o melanoma, que possui alguns fatores que podem deixar as pessoas mais vulneráveis a essa doença, eles são:

  • Exposição aos raios ultravioletas
  • Pessoas com a pele mais clara
  • Ter olhos e cabelos claros
  • Possuir muitas pintas pelo corpo ou pintas muito grandes
  • Histórico de câncer na família
  • Idosos e homens

Identificando o melanoma

Com o intuito de identificar o melanoma é preciso estar atento aos primeiros sinais que as manchas ou pintas apresentam, como surgimento das mesmas depois de adulto, mudanças de cor, formato irregular, coceira, entre outras coisas. No entanto só um dermatologista pode dar a certeza se há ou não a doença. Contudo, pode ser feito um autoexame todos os meses, verificando se existe algo suspeito. Para realizar esse exame, especialistas desenvolveram uma regra chama ABCDE, que ajuda a reconhecer o melanoma e significa:

  • Assimetria: imagine uma linha imaginária no centro da pinta ou da mancha e veja se os lados estão diferentes;
  • Bordas irregulare: Bordas não uniformes;
  • Cor: Apresentar cor desigual;
  • Diâmetro: Maior que 6mm;
  • Evolução: Pintas que mudam de tamanho, cor, formato ou aparência.

Por mais que essa regra ajude, nem todos os melanomas têm esse padrão, dessa forma, sempre que perceber alguma lesão diferente procure imediatamente um especialista , pois só ele será capaz de afirmar se existe ou não um problema.

Tratamentos

Em princípio, antes do tratamento, é importante alertar sobre maneiras para prevenir o melanoma. O principal meio de evitar essa doença é não se expor tanto ao sol. Ou seja, usar óculos escuros, chapéus, procurar sempre uma sombra e não se esquecer de passar protetor solar todos os dias.

Por fim, para tratar o melanoma o primeiro passo é procurar um dermatologista para obter um diagnóstico: se ele identificar um melanoma irá indicar os melhores tratamentos para o problema. A Clínica Optimize possui métodos modernos para a identificação de doenças cutâneas. Estamos sempre buscando cuidar da saúde e do bem-estar dos nossos pacientes, estudando para fazer os melhores tratamentos nessa área. Marque já sua consulta.

Clínica Optimize
Centro Médico Monte Sinai
Avenida Presidente Itamar Franco, 4001
Sala: 713 – Leste – CEP 36033-318
Cascatinha – Juiz de Fora – MG
(32) 3025.4344 | (32) 99129.0617
contato@clinicaoptimize.com.br

Abrir bate-papo
1
Escanear o código
Olá Clinica Optimize! Cheguei até aqui pelo link da sua Landing Page, podemos conversar? []