O que é o minoxidil? Conheça o medicamento e suas contraindicações

Você já deve ter ouvido falar no Minoxidil, principalmente se faz ou já fez algum tratamento para queda de cabelos. Mas engana-se quem pensa que ele foi criado com esse objetivo. O Minoxidil chegou ao mercado nos anos 80, e inicialmente era usado como anti-hipertensivo (combater a pressão arterial alta), pois ele acarretava em um mecanismo de dilatação dos vasos sanguíneos.

Com o uso, descobriu-se que ele também propicia a dilatação dos vasos presentes próximos ao local de nascimento do cabelos, levando ao maior aporte sanguíneo e, consequentemente, uma maior nutrição dos fios.

Ele também aumenta o número de fios em fase de crescimento e aumenta a espessura dos mesmos. Hoje sua maior utilização é de maneira tópica, ou seja, de aplicar direto no couro cabeludo. Todavia, ainda há a possibilidade do uso dele oral para pacientes que não toleram a cosmética do seu uso tópico.”, explica Dra. Marcella Nascimento.

O Minoxidil é indicado para a grande maioria das alopecias, ou seja, situações em que há queda de cabelos. “A principal indicação é o uso na calvície masculina e feminina, na qual o termo médico é alopecia androgenética. Outras indicações relativas são a alopecia areata e eflúvio telógeno crônico.”, reitera Marcella.

A principal indicação é o uso na calvície masculina

O medicamento pode ser usado sem receita?

Atenção para quem acha que o Minoxidil pode ser comprado na farmácia da esquina. Como ele é um medicamento, ele precisa de prescrição médica. “Existem várias concentrações para seu uso tópico, assim como doses para seu uso oral. Além disso, pode gerar efeito colateral como irritação local e aumento de pelos corporais. Vale a pena ressaltar que o Minoxidil é contra-indicado em gestantes. Nunca realize a auto-prescrição.”, indica a médica.

Clínica Optimize

× agende a sua consulta